In Turismo

Bom dia, meus viajantes! Tudo certo com vocês?

Sim! Sábado é dia de curtir um churrasquinho e uma piscina com os amigos, mas também é dia de ler minhas matérias de turismo  aqui, no blog da Dudi. Fiquem comigo até o final!! Hoje o assunto é de muita treta e voadora.

Respondam-me só uma perguntinha: quem aí já viajou com pessoas insuportáveis? Aposto que muitos de vocês responderam que S-I-M!  Só quem já passou por isso sabe o quanto é estressante. Muitas amizades dão ponto final depois de uma viagem. É sério! Conheço muitas pessoas que se amavam, viajaram juntas e agora se odeiam. Infelizmente acontece.

Imaginem comigo…

Um esportista viajando com um sedentário.  (Pensem na cena!)

Um viajante que gosta só de comprar eletrônicos com um que gosta apenas de visitar museu. (É treta na certa!)

Um podre de rico viajando com um pobre de Jó. ( É rolo!)

Estão vendo? É muito difícil! É preciso escolher a dedo quem vai ser seu companheiro (a) de viagem. Confesso que já passei muita raiva por aí. Um dia pensei que fosse sofrer um “trem” de tanto ódio e arrependimento de ter colocado os pés no mesmo avião do que os estorvos.

E quando você quer comer arroz com feijão e o coleguinha de viagem quer comer Steak Tartare? E, o pior de tudo, vira a cara quando você fala que não vai almoçar no lugar que ele/ ela deseja.  Não sei se infantilidade ou amostra do cão. Ranço!

As pessoas precisam saber que nem os dedos das mãos são iguais, e por que nós precisamos ser? Eu, particularmente, detesto ficar entrando de loja em loja, procurando coisa pra comprar.  Amo ficar andando, conhecendo ruas, povos, cultivando novas amizades.  Não sou fã de ficar virando noites quando estou viajando, não sou nada boêmio. Prefiro andar pela manhã e tarde, descansar no período da noite para ficar intacto para o outro dia. Mas existem aqueles coleguinhas de viagem que não respeitam isso também. INFERNIZAM, INFERNIZAM, até você ceder e ir pra tal boate. Preguiça!

E quando você quer ir pro Sul e a pessoa pro Leste?

E quando você quer ir pro Leste e a pessoa pro Oeste?

E quando você quer comer bolo de chocolate e o companheiro de Abacaxi com orégano?

E quando vocês vão almoçar juntos e o colega fala que esqueceu o dinheiro no hotel?

E quando o individuo entra em uma loja e fica duas horas experimentando roupa, escolhendo celular, batendo papos com os vendedores?

Não é de amargar situações assim?

Pensando nisso, separei algumas  dicas para você que embarcou com um trambolho e não tem como se livrar… Ahhh, antes disso, citarei para vocês alguns tipos de estorvos e depois a reativa para agüentar e não dar A-Q-U-E-L-A crise nervosa.

  • O folgadinho ou a folgadinha (aquele ser que acha que você é um agente de viagem totalmente exclusivo para ele).

É aquela pessoa que não faz nada sozinha. Não sabe reservar hotel, não abre a boca para falar com garçom, não se arrisca, não vai no mercado sozinha, pede dinheiro emprestado toda hora, inferniza a vida da gente.

Reativa: Não dê moral e nem prosa. Saia de perto quando pedirem para ajudar, finja de surdo ou mudo. Mexa no celular ou vá ao banheiro. Ajudar uma vez ou outra é preciso, mas quando o indivíduo abusa, é hora de entrar em ação. Afinal, ninguém é obrigado.

  • O medroso ou a medrosa negativa (aquele estorvo que acha que TUDO vai dar errado, que passeio nenhum é legal e que vai morrer de acidente ou parada cardíaca).

Reativa: Simplesmente vá! Faça tudo aquilo que planejou ou deu vontade. Não sei vocês, mas não importo se virarem a cara para mim. Eu sei que fica um climão, mas f@d**-se. Não achei meu dinheiro no lixo, ora.  Se a pessoa for e ficar chiando feito radio velho, é legal abrir o jogo e dar sua posição. Não estou falando para serem mal educados, cachorrões ou barraqueiros. O diálogo respeitoso e sensato resolve qualquer parada. E o que fazer com os negativos e as negativas? Simplesmente não deixem que a nuvem turva lhe enfraqueça. Não dê ouvidos, faça orações, mantenha o pensamento positivo.

  • O preguiçoso ou a preguiçosa (aquele que acorda duas da tarde para tomar café da manhã).

ÔÔH raça ruim! Existem muitas pessoas que fazem isso, e, o pior de tudo, atrapalham os outros companheiros de viagem. Já passeio MUITO por isso, não é nada fácil. Por isso gosto de viajar sozinho.

Reativa: 1ª tentativa: Tente acordar uma pessoa e faça o convite para levantar e sair do hotel. 2ª tentativa: Tente mais uma vez. 3ª tentativa: Pegue sua bolsa e vá passear. Largue a marmota na cama e descubra o melhor do lugar. Simples assim! E se achar ruim com você, não se importe, pois fez sua parte.

  • O mandão (aquele cão de cabelo que fala que quer conhecer só a Torre Eiffel e ponto final).

Dá vontade de pegar o bracinho ou o nariz do individuo e torcer até falar chega.  Outra raça que é bastante comum! Torcem o nariz se não fazem aquilo que é do seu agrado. Infantilidade é mato!

Reativa: Quando abrir o olho no hotel já fale o que vocês querem fazer no decorrer do dia. Se a pessoa chiar, peça pra ela ficar e pensar em outros planos. Combinado não sai caro! Converse sempre com educação, pois é uma sublime forma de deixar o companheiro de viagem no chinelo. Já briguei demais e nada adiantou, então, resolva via diálogo, caso não dê certo, parta para a voadora.

Então, meus viajantes…

Vocês se identificaram? Sentiram na pele o quanto é triste viajar com inconhas? ABRAM o olho! “Estude” a pessoa antes de embarcar com ela. Antes de comprarem as passagens, tomem um cafezinho juntos ou juntas, faça uma entrevistinha, pergunte até deixar o ser descontrolado. Ninguém merece passar por isso!

Quer conhecer bem uma pessoa? Viaje com ela!

FUIIIIIIIIIIIII!

Abraço forte e “bão”!

Comments

comments

Recent Posts
Fale comigo

Envie sua mensagem que retornarei o quanto antes!

Not readable? Change text.

Start typing and press Enter to search